Sobre | Edital Videocamp 2018
1 Ir para o conteúdo 2 Ir para o menu
Contraste
aumentar o tamanho da fonte diminuir o tamanho da fonte

Sobre

O tema Educação Inclusiva pretende trazer à pauta uma questão de extrema importância e relevância social: segundo a OMS, 1 bilhão de pessoas vivem com alguma deficiência, seja ela visual, auditiva, física ou intelectual*. Desse número, mais de 80% vivem em países em desenvolvimento**

Essas pessoas lidam diariamente com discriminação, falta de empatia e solidariedade, falta de políticas públicas e legislações adequadas que promovam condições para o exercício de sua cidadania e tantas outras questões. Um estudo da OMS estima que há entre 93 milhões e 150 milhões de crianças com deficiência no mundo, e cerca de metade delas não frequentam a escola***.

Temos, então, que UMA em cada SETE pessoas no MUNDO vive com alguma deficiência.

  1. E aqui valem algumas reflexões:
  2. – com quantas pessoas com deficiência você conviveu durante a infância?
  3. – com quantas pessoas com deficiência você estudou?
  4. – com quantas pessoas com deficiência você trabalha?

O cenário recorrente é de invisibilidade, de ausência de pessoas com deficiência ou de sua participação nas atividades cotidianas. Para reverter essa realidade, é preciso deslocar o olhar dirigido à deficiência e conduzi-lo para a interação entre as pessoas e também para o ambiente físico. É fato que barreiras atitudinais, de comunicação e arquitetônicas são determinantes na oferta de ambientes mais ou menos inclusivos. Ampliar o acesso significa eliminar barreiras, estar atento às singularidades das pessoas (sem reduzi-las à deficiência ou outra característica), às relações interpessoais que valorizem a diversidade, às práticas colaborativas e às redes de apoio à inclusão. Todos ganhamos com essa transformação!

No que se refere ao conhecimento adquirido na escola – mas não exclusivamente -, a pesquisa “Os benefícios da educação inclusiva para estudantes com e sem deficiência”, lançada pelo Instituto Alana e a ABT Associates, sob coordenação do Dr. Thomas Hehir, professor da Harvard Graduate School of Education, elenca evidências científicas de que sistemas de ensino com configurações inclusivas, em que as crianças com deficiência são escolarizadas junto com crianças sem deficiência, conferem benefícios substanciais para o desenvolvimento afetivo, social e de aprendizagem a todas as elas (Leia o estudo na íntegra aqui).

O desafio de mudar a história da exclusão de pessoas com deficiência une-se ao desejo de promover, em perspectiva, mudanças duradouras na sociedade. O convívio de crianças sem deficiência com crianças com deficiência – em ambientes que valorizem as diferenças – é um importante vetor de mudança, de transformação do imaginário social preconceituoso em relação a essa condição humana. É uma experiência significativa, que pode perpetuar-se ao longo de toda a vida daquela criança.

Por fim, queremos ampliar o acesso aos direitos e à participação social, alinhados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), Agenda Global de Transformação da Organização das Nações Unidas (ONU)****, conforme o objetivo n.º 4 – Educação de qualidade.

  1. 4.5 Até 2030, eliminar as disparidades de gênero na educação e garantir a igualdade de acesso a todos os níveis de educação e formação profissional para os mais vulneráveis, incluindo as pessoas com deficiência, povos indígenas e as crianças em situação de vulnerabilidade
  2. 4.a Construir e melhorar instalações físicas para educação, apropriadas para crianças e sensíveis às deficiências e ao gênero, e que proporcionem ambientes de aprendizagem seguros e não violentos, inclusivos e eficazes para todos

Todas as pessoas têm direito ao pleno exercício dos direitos humanos e liberdades fundamentais, sem qualquer tipo de discriminação e em igualdade de oportunidades com os demais.
Há quase 70 anos a Declaração Universal dos Direitos Humanos respalda essa afirmação. Mas o que nos move é uma pergunta mais simples e pessoal: Que mundo você gostaria de construir?
O nosso é mais justo e plural. 🙂

A gente sabe que um filme não muda o mundo, mas muda pessoas.
E são pessoas que mudam o mundo.

Seguimos juntos.
Equipe VIDEOCAMP

* com dados de 2011: https://www.un.org/development/desa/disabilities/issues.html
**http://cetic.br/media/docs/publicacoes/8/Relatorio_Global_Unesco_FINAL.pdf
***http://www.who.int/disabilities/world_report/2011/en/
****Transformando Nosso Mundo: A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável